Sindicato alemão propõe quatro dias de trabalho para salvar milhares de empregos

O maior sindicato da Alemanha, o IG Metall, propôs uma semana de trabalho de quatro dias para os setores da indústria e automóvel antes da próxima ronda de negociações com o governo no início do próximo ano.

O sindicato alemão IG Metall propôs uma redução na semana de trabalho, passando a ser de quatro dias por forma a prevenir que milhares de cidadãos vão para o desemprego, informa o “DW” este domingo, 16 de agosto.

O maior sindicato da Alemanha, o IG Metall, propôs uma semana de trabalho de quatro dias para os setores da indústria e automóvel antes da próxima ronda de negociações com o governo no início no próximo ano. Seria “a resposta às mudanças estruturais em setores como a indústria automóvel”, referiu o presidente do sindicato Jörg Hoffman ao jornal nacional alemão “Süddeutsche Zeitung”.

A indústria automóvel alemã sustenta cerca de 830 mil pessoas e contribui com cerca de 5% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. No início deste ano, uma agência de investigação financiada pelo governo indicou que na pior das hipóteses, mais de 400 mil empregos na indústria automobilística alemã podem desaparecer até 2030.

Nas próximas negociações sindicais, Jörg Hoffman afirmou que o IG Metall vai pedir um aumento salarial para os trabalhadores, apesar da recessão. O maior sindicato industrial europeu representa os trabalhadores de construtoras como a Audi, BMW e Porsche.

Empresas como a Daimler, ZF e Bosch já fizeram acordos neste verão para reduzir as horas de trabalho dos seus trabalhadores.

Fonte: Sindicato alemão propõe quatro dias de trabalho para salvar milhares de empregos – O Jornal Económico